Eu Li – Refém da Obsessão

terça-feira, 1 de abril de 2014
Havia uma parte em Lanny que queria ser punida. Um pedaço de seu coração que acreditava que ela merecia o horror de ser imortal, a tristeza de ver todos aqueles que amara partirem, enquanto ela só podia conviver com as perdas e as lembranças. Terríveis e solitárias lembranças. Este “dom”, oferecido pelo mais malvado dos homens, Adair, era, para ela, a resposta a uma pena que ela deveria cumprir. Mas, apesar das culpas e do castigo que pensava merecer, ela ainda sonhava. E esperava ser redimida por ter dado a Jonathan — seu grande amor — o esquecimento que purifica todo ser de sua dor: a morte. No entanto, bem no fundo de sua alma, ela suspeitava que, fosse o que fosse que a atraísse para Adair (e para sua maldade), fosse qual fosse o infeliz sentimento que os aproximara, este sentimento não fora totalmente exorcizado. Não importava que ela tivesse chegado ao cúmulo de emparedar aquele homem mau e deixá-lo para apodrecer, não importava que o tempo tivesse passado, nem que, hoje, ela pudesse contar com o apoio e os braços fortes e acolhedores de Luke... Adair estava por perto, ela podia senti-lo, e seu poder era inexorável.

Autora: Alma Katsu
Título Original: The Reckoning
Série: The Taker
Editora: Novo Conceito
Capa: Equipe Novo Conceito
Tradutor(a): Ana Paula Doherty
Editor: -
ISBN: 978-85-8163-239-1
Páginas: 352
Skoob

Adair estava vindo atrás de mim, e nosso tempo juntos terminara. Tinha que cuidar de mim e poupar Luke e sua família. Estaria sozinha de novo, mas a verdade é que estamos todos sempre sozinhos. Eu tinha aprendido perfeitamente bem essa lição.
Capítulo 3; Página 36.


Esta resenha contém spoiler do livro um, O Ladrão de Almas.

Depois de conseguir fugir dos Estados Unidos após matar seu namorado Jonathan, Lanore e Luke estão morando em Londres. O médico decidiu largar tudo por Lany, e ela, por sua vez, está se sentindo feliz com a forma que ele a trata. Ele conseguiu fazer com que ela doasse muitas de suas relíquias adquiridas durante décadas, para um museu. Aquela tarde em que ambos vão a exposição dos itens doados era para ser só mais uma tarde comum, porém, Lanore sente algo, algo que não sentia há 200 anos.

Adair está livre da prisão que Lanore o condenou, e a moça sabe o que vem a seguir, vingança. Ele com certeza vai atrás dela para um acertos de contas, e o conhecendo como Lany conhece, só resta uma única saída, fugir, fugir para bem longe, para um lugar que Adair não encontre nem ela e nem Luke.

Quando terminei o primeiro livro desta série, eu estava extasiado tamanha criatividade e beleza de narrativa. Eu só queria que o segundo livro fosse lançado logo para poder ler, e enfim este dia chegou.

O livro começa quase no mesmo ponto que o outro termina, com Lanore e Luke juntos depois de uma bela fuga. A partir daí o que temos é uma grande sequência de descobertas. Katsu mostra que sua criatividade não tem tamanho, se algumas coisas não foram respondidas no livro anterior, tenha certeza que será respondido neste. Em Refém da Obsessão, conhecemos melhor o verdadeiro passado de Adair e como ele conseguiu ser o que é hoje.

O que mais me encanta na escrita da Katsu é sua narrativa angustiante, cruel e viciante, e a forma como ela usa o passado histórico dos seus personagens, sem deixar o enredo chato ou tedioso. Adair é um verdadeiro viajante, que passou por muitas provações e aprendizagens, e isso é contado por ele mesmo, de forma a deixar o leitor maravilhado com cada narrativa do personagem.

O passado de Lanore, depois que Jonathan a deixou é também algo avassalador. A autora dá a chance do seu leitor conhecer ainda melhor a personagem, nos mostrando tudo que ela viveu e os amigos que fez. Essa é a forma que Katsu nos deixa mais próximos de seus personagens, e logo, não queremos nos separar do livro, nem mesmo quando ele termina.

A mitologia também está bem presente neste livro, algo que me deixou encantado. Adair passou anos preso, então, agora que está de volta, tudo o que ele mais quer é encontrar Lany, e para isso vai usar recursos interessantes e que vão deixar os leitores curiosos e surpresos.

A única coisa que acabou me irritando, foi a atitude de um personagem próximo ao final. Não posso falar, porque vai ser spoiler, mas quem ler o livro, creio que vai entender o que estou dizendo.

O livro tem uma capa belíssima, uma diagramação simples que segue o estilo do livro anterior, e infelizmente, encontrei vários erros de revisão. Alma Katsu sem dúvida tem o dom de fazer o leitor não querer parar de ler, mesmo quando o livro termina. Com muito talento, conduz o leitor para um final que eu mal posso esperar para ler.




Nenhum comentário

Postar um comentário

 
Desenvolvido por Michelly Melo.