Eu Li – 31 Profissão Solteira

sexta-feira, 25 de outubro de 2013
Consuelo Aldunate parece ter tudo o que uma mulher quer: independência financeira, um bom grupo de amigos, um trabalho divertido, um guarda-roupa invejável e um apartamento top. Mas Consuelo quer uma coisa que para muitas mulheres pode soar básico. Um acessório difícil de conseguir, embora pareça estar em toda parte: um homem. Exigente, ela não quer qualquer homem; quer um próprio, privatizado e que possa mostrar a todos. Por isso arregaça as mangas e sai à procura de um namorado por todos os lugares onde possa haver homens interessantes e disponíveis. Nessa busca, entre drinques e encontros insólitos, a anti-heroina vai descobrindo que é difícil deixar de ser solteira. Com humor inteligente, a personagem mostra que por mais que esteja na moda ser single, há momentos em que daria tudo para ter alguém esperando por ela em casa.

Autora: Claudia Aldana
Título Original: 31 Profesión: Soltera
Série: -
Editora: Primavera Editorial
Capa: Renato Moriconi
Tradutor(a): Ariel Moris
Editor: Lourdes Magalhães
ISBN: 978-85-61977-01-6
Páginas: 296
Skoob

Eles dizem “eu te ligo” e nós compreendemos “sente-se ao lado do telefone, porque em qualquer minuto posso ligar e, se você não atender perderá como numa guerra”. Tontas somos nós, que não sabemos que eles também utilizam isso – algumas vezes – para finalizar uma conversa chata. Ou então nós perguntamos “estou gorda?” e, em vez de nos cobrir com cantadas, eles nos observam para avaliar, mesmo que estejamos a três gramas de ser o clone da Madona.

Página 274.



Consuelo é uma mulher na casa dos 30 anos e ainda está solteira. O que ela mais quer é encontrar um homem para suprir as necessidades de uma mulher como ela. Mas parece que mesmo tentando muito, esse homem não aparece em sua vida. Seu medo? Ficar para a titia. Mesmo sendo independente financeiramente, tendo um bom trabalho e um guarda roupas satisfatório, ela não está feliz.

Talvez isso se deva ao fato de que Consuelo não quer qualquer homem, ela tem suas próprias expectativas quanto a ele. E é por isso que ela vai a luta, porque parada, nada cai do céu, e junto com seus amigos, Camila e Fred, vai proporcionar ao leitor ótimas diversões.

Esse livro é uma junção de colunas lançadas pelo Jornal El Mercurio, do Chile. Sem dúvida alguma, a autora tem o dom de entreter e fazer o leitor se divertir e dar boas gargalhadas com a história que criou. A narrativa é em primeira pessoa, e como Consuelo é uma mulher que pensa muito e que tem sacadas geniais, logo nas primeiras páginas vai deixar o leitor apaixonado por ela.

Ela é uma personagem que a princípio sabe o que quer e aonde quer chegar. Vai apresentando sua vida, e também a de todos ao seu redor de forma hilária, e com isso se metendo em situações engraçadas. Ela é o retrato de muitas mulheres solteiras nesta idade - não todas, não estou generalizando – e em minha opinião, é isso que vai fazer principalmente as leitoras se encantarem pelo livro.

Esse é um livro que eu indicaria muito para adolescentes que estão começando sua vida amorosa e acham que qualquer decepção é o fim do mundo. Meninas, vamos aprender com a Consuelo que as coisas não são assim, e de quebra, aproveitem a leitura para receber várias dicas valiosas dela.

Porém mesmo que o livro seja engraçado, e é isso que me fez continuar a ler até o final, ele vai se tornando repetitivo e podemos perceber o quando Consuelo é dependente desta fixação por arranjar um homem. Nada mais na vida dela tem sentido, e ele só quer arranjar um homem, às vezes achei que a personagem já estivesse louca. E isso vai deixando o livro cansativo e maçante.

Esta capa é simplesmente linda, a ilustração ficou muito bem feita. A diagramação do livro está ótima e a revisão está de parabéns, como sempre a Primavera Editorial fazendo um trabalho impecável.







5 comentários

  1. Pelo título eu achei que seria um ótimo livro pra mim, mas já pela sinopse, descobrir que tem mulher que acredita no ‘eu te ligo’ foi demais para minha pessoa! HAHA Não sou do tipo de pessoa que acha necessário ter um homem ao lado, então essa busca de um namorado provavelmente não seria um grande livro pra mim... mas se rolar oportunidade, vou querer ler esse livro!
    Não conhecia seu blog, e adorei aqui, gostei da sua resenha e já estou te seguindo!

    Beijos :*
    Claris - Plasticodelic

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Claris.
      O fato dela parecer uma louca desvairada atrás de homem foi o que menos me agradou, Era nesses momentos que ela mais parecia uma adolescente chata e infantil. Mas o livro como um todo é bem divertido, então, se puder, leia sim.
      Obrigado pela visita.

      Elder Koldney

      Excluir
  2. Antes de tudo preciso falar que amei o nome do blog! rsrsrs Dito isso, voltemos ao post!
    Ainda não tinha ouvido falar nesse livro, mas acho que pelo jeito deve garantir boas risadas, acho que gostaria de ler o livro, mais para passar o tempo, curtir uma história mais light, gosto de ter livros assim na estante para variar entre as leituras pesadas.
    Muito boa a resenha!
    Seguindo seu blog, e também curti sua fan page, gostaria de te convidar para conhecer o meu blog também, será muito bem vindo!
    Abraços,
    Scar.
    http://wonderlandmundodoslivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Scarlet muito obrigado :)
      Esse livro é realmente bom pra gente se divertir logo após algo denso. As gargalhadas são garantidas.
      Vou conhecer seu blog sim, e dar uma passada sempre que puder *-*

      Elder Koldney

      Excluir
  3. Oi, Kold.

    Nunca tinha visto esse livro! Nome, capa, autora... Tudo novidade pra mim. 'Vem cá, Consuelo, senta do meu lado e me abraça, vamos conversar, também tenho receio de ficar pra titia'. HAHAH. Acho que isso é um pensamento que acaba passando pela cabeça de todo mundo algum dia. Solidão é algo muito triste. Ninguém quer isso. :{
    Que bom que a personagem tem boas sacadas. É muito comum encontrar em livros desse estilo mulheres totalmente 'bobas', ingênuas demais, sem controle sobre nada. Triste que a leitura acabou se tornando maçante em determinado ponto. E entendo o que você disse. Seja em livros, ou na vida real, não acho saudável manter o foco em uma coisa específica e acreditar que sua vida só fará sentido se a conseguir. Tem tanta coisa pra ser feita, sentida e pensada, né? Não devemos ter fixação (doentia) por nada.

    Beijos, Kold. <3

    ResponderExcluir

 
Desenvolvido por Michelly Melo.