Eu Li – A Garota da Casa Grande

terça-feira, 24 de setembro de 2013
O livro é narrado por sua personagem principal, Georgia, que, sarcástica e ironicamente, apresenta-nos seu mundo através de seus belos olhos azuis. Presa na casa de sua avó em uma cidade pequena, onde não há nem ao menos um shopping, ela se vê em uma rotina monótona até conhecer Alice, sua vizinha, não da frente, mas, da diagonal. Um romance, sobretudo, entre seres humanos, que lutam contra o preconceito da cidade pequena e de si mesmas.

Autora: Amanda Marchi
Título Original: A Garota da Casa Grande
Série: -
Capa: Monalisa Morato
Tradutor(a): -
Editor(a): Nair Ferraz
ISBN: 978-85-428-0023-4
Páginas: 112
Skoob

Há muitas coisas que, apenas sabendo a teoria, dá para se dar bem na prática.

Mas não há teoria para a morte. Ela é como o vírus da gripe, extremamente mutável, variando de pessoa em pessoa.
Capítulo 11; Página 75.

Todas as suas férias, Geórgia passa na casa de sua avó paterna e de sua tia em uma cidadezinha do interior. Ela é uma garota sarcástica, forte, e decidida. Sabe o que quer, e não tem vergonha disso. Mas guarda um segredo da parte de sua família que mora ali. Ela é homossexual, e só não contou à sua avó, por achar que ela fosse ter uma atitude conservadora. Suas férias ali são tediosas, e dessa vez, mas do que nunca, ela gostaria de estar em sua casa, em sua cidade, com seus amigos.

Mas tudo muda quando ela conhece Alice, uma menina que mora na casa grande e verde ali perto. A partir daí, Georgia vai se deparar com atitudes e pensamentos diferentes que os seus. E vai perceber que a sua vizinha, meche consigo mais do que deveria.

Interessei-me pelo livro, já por esta capa, que é simples, delicada, mas que ao mesmo tempo me passou certa profundidade. A sinopse só me fez ter a certeza que deveria ler este livro. A narrativa da autora é algo que a destaca. A princípio é leve, alternando entre sacarmos e ironias. Pude perceber aos poucos, o amadurecimento e a transformação de sua escrita, passando para algo forte e profundo. Amanda sabe muito bem dosar o que quer passar ao leitor, dando uma sensação diferente a cada capítulo.

Seu talento também se aplica à criação e seus personagens. Cada um tem sua história por trás do que é, e é isso que faz deles especiais. Como o livro é fino, não se tem tempo para trabalhar todos eles, fazendo com que o enfoque seja completamente as duas protagonistas.  Enquanto Georgia é forte e decidida, temos Alice, que por trás da sua máscara é carente e frágil, e esse contraste, é um dos elementos que fazem tudo valer a pena.

O livro foge um pouco dos clichês em romance. Temos protagonistas que acertam e erram. Que fazem coisas de errado, mas que tem uma à outra para se ajudarem. E é isso que fez tudo parecer real a ponto de me fazer refletir sobre as atitudes de ambas as personagens. Não espere por um conto de fadas, isso é vida real, com tragédias e contratempos, e também com amor e descobertas.

A diagramação é bem simples, mas com letras grandes que agradam quem lê. Infelizmente, encontrei vários erros de revisão: Palavras faltando, palavras erradas e até mesmo erros de concordância em frases. É uma pena, porque este livro sem dúvidas merecia algo completamente bem feito.

Este livro conquista o leitor pela simplicidade com que o tema principal é trabalhado, e pela forma doce e inteligente de narrar e criar personagens. É um livro que merece ser lido, e mais que isso, saboreado por todo leitor.






2 comentários

  1. Kold!
    Tava esperando a resenha desse livro <3
    Comigo tbm foi a mesma coisa... Me apaixonei pela capa!
    Eu me interessei muito pelo plot, e fico muito feliz de você ter dado 4 estrelas.
    Sinal de que o livro é coisa boa mesmo.
    Gostei mais ainda de você dizer que foge dos clichês dos romances... Eu n tenho tantos problemas com clichês (confesso rs), mas é sempre bom ler algo com pegadas diferentes.

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E tem como não gostar dessa capa? hahaha.
      Eu espero que você, quando ler, goste assim como eu. O que mais me deixou feliz foi a narrativa simples mas forte da autora.
      Também não tenho nada contra os clichê e até pensei que esse fosse um livro assim, mas foi ótimo o rumo que as coisas tomaram :)

      Abração,
      Elder Koldney

      Excluir

 
Desenvolvido por Michelly Melo.