Eu Li – Estilhaça-me

terça-feira, 2 de julho de 2013
Juliette não toca alguém a exatamente 264 dias. A última vez que ela o fez, que foi por acidente, foi presa por assassinato. Ninguém sabe por que o toque de Juliette é fatal. Enquanto ela não fere ninguém, ninguém realmente se importa. O mundo está ocupado demais se desmoronando para se importar com uma menina de 17 anos de idade. Doenças estão acabando com a população, a comida é difícil de encontrar, os pássaros não voam mais, e as nuvens são da cor errada. O Restabelecimento disse que seu caminho era a única maneira de consertar as coisas, então eles jogaram Juliette em uma célula. Agora muitas pessoas estão mortas, os sobreviventes estão sussurrando guerra – e o Restabelecimento mudou sua mente. Talvez Juliette é mais do que uma alma torturada de pelúcia em um corpo venenoso. Talvez ela seja exatamente o que precisamos agora. Juliette tem que fazer uma escolha: ser uma arma. Ou ser um guerreiro.

Autora: Tahereh Mafi
Título Original: Shetter me (Livro #1)
Série: Trilogia Estilhaça-me
Editora: Novo Conceito
Páginas: 304
Skoob

Engulo a respiração e espero que ele dê o fora, como todos os outros de minha vida. Meus olhos estão focados na janela e na promessa do que poderia ser. Na promessa de algo mais grandioso, algo mais importante, alguma razão para a demência que se edifica em meus ossos, alguma explicação para minha incapacidade de fazer qualquer coisa sem arruinar tudo. Haverá um pássaro. Ele será branco com listras de ouro igual a uma coroa sobre sua cabeça. Ele voará. Haverá um pássaro. Ele será...

- Ei...

- Você não pode me tocar – murmuro. Estou mentindo; é o que não digo a ele. Ele pode me tocar, é o que nunca lhe direi. Por favor, toque-me; é o que quero lhe dizer.

Mais coisas acontecem quando as pessoas me tocam. Coisas estranhas. Coisas ruins.
Capítulo 2; Página 13


Juliette Ferrars está há exatamente 264 dias aprisionada em algum lugar pelo Reestabelecimento. Quando as coisas na terra ficaram muito ruins, esse grupo de pessoas disse que poderia ajudá-los a reconstruir tudo, porém, o que fizeram, foi tomar o poder. Agora ela está presa, pois é especial. Por algum motivo desconhecido, ela não pode tocar ninguém, pois seu toque pode ser letal. Por isso, seus pais abriram mãos dela, deixando-a sozinha.

Só que ela logo terá um novo companheiro de cela, Adam, alguém que ela conhece de algum lugar. Só que muitas surpresas a aguardam, pois o Reestabelecimento quer usar esse poder de Juliette a favor deles. Porém, ela não quer isso, não quer se tornar uma arma nas mãos de quem só lhe faz mal.  E com ajuda de seu companheiro de cela, que na verdade é um soldado disfarçado, seus dias ali serão menos difíceis.

Com a ajuda dele, eles fogem da cede do Reestabelecimento e começam a ser procurados. E então uma caçada começa. As ordens são para trazer Juliette viva, só que ela não quer mais ficar presa, e agora que conhece a liberdade e o amor, vai lutar com todas as suas forças para se livrar de Warner, que além de querê-la como uma arma, nutre um sentimento obsessivo por ela.

Eles tomaram tudo. Minha vida. Meu futuro. Minha lucidez. Minha liberdade.

Capítulo 11; Página 59.

Por onde começar? Quero primeiro ressaltar o quanto essa capa é maravilhosa. Estou começando a odiar capas com rostos, porque muitas vezes elas não são fiéis aos personagens do livro, mais dessa vez a Novo Conceito acertou, porque ela me encantou com essa mistura de cores e efeitos que ficou muito legal.

A narrativa do livro é ótima, algo bem característico, que posso ressaltar, ser uma marca da autora. Rapidamente peguei o ritmo da leitura, e ainda mais rápido cheguei ao final. Consegui saborear vários detalhes da história, principalmente o romance que foi muito bem estruturado. De inicio fiquei com pé atrás porque a primeira distopia que li não foi muito boa, mas Estilhaça-me veio me mostrar que este gênero pode me fascinar, isso se assim como este livro, o plano de fundo e o romance coexistirem em harmonia.

Os personagens são maravilhosos, e olha que conhecemos muito deles. Por ser um livro introdutório conhecemos pouco claro, mais só o que foi mostrado me fez adorar principalmente o Adam, James, e não posso esquecer-me do meu lindo Kenji. Juliette também me agradou, é uma personagem que viveu muita coisa e que está sendo muito forte no desenrolar de tudo.

Às vezes penso que a solidão dentro de mim explodirá pela pele e, às vezes, não tenho certeza se chorar ou gritar ou rir de histeria resolverá alguma coisa. Às vezes estou tão desesperada por tocar, por ser tocada, por sentir, que tenho quase certeza de que vou cair de um penhasco em um universo alternativo no qual ninguém, nunca, será capaz de me encontrar

Capítulo 2; Página 12.

O que mais me chamou atenção no livro foi que a autora achou um jeito inovador e interessante de usar outra temática que muitos conhecemos e que pode já estar saturada. Em alguns pontos o livro pode ate lembrar certo desenho ou certa série de filmes, só que a forma usada no livro me conquistou. Estou sim louco por uma continuação, não vejo a hora de me encontrar novamente com Juliette, Adam e James. A diagramação, tamanho de letras e espaçamento me agradaram e não encontrei nenhum erro de revisão.

Estilhaça-me é um livro criativo, que cativa, conquista e que acima de tudo soube misturar muito bem distopia e romance. Com isso, o livro não poderia levar menos de cinco estrelas



2 comentários

  1. Oi, Kold!

    A sua resenha está incrível - mesmo tendo sido escrita no ano passado. A maneira como você fez eu me recordar de toda a história de "Estilhaça-me" me deixou ainda mais doido pelo último livro da trilogia. Mafi é uma autora incrível! Ela sabe muito bem como corroer as nossas emoções e nos deixar perdidamente afoito pela continuação. Quando peguei "Estilhaça-me" para ler, não tinha muitas expectativas quanto ao enredo e a narrativa da autora, contudo, me surpreendi do começo ao fim. Mafi soube construir muito bem os seus personagens! Adam, Warner e a própria Juliette se completam nos mínimos detalhes e isso é maravilhoso. A sutileza e a genialidade de Tahereh são visíveis durante todo o livro, em Liberta-me, por exemplo, a autora conduziu a narrativa ao extremo! Fiquei ofegante do começo ao fim e caramba, chega logo 2014!

    Um abraço, http://umleitoramais.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Esse livro me surpreendeu. Eu estava finalizando o primeiro volume da minha saga, Lilliah Blü, quando li Estilhaça-me e adorei saber que não sou o único a escrever a história quase toda no tempo presente... Acho que você adorará a leitura da minha saga, gostei da resenha...

    :D

    ResponderExcluir

 
Desenvolvido por Michelly Melo.