Eu Li – Morte Entre Poetas

sexta-feira, 14 de junho de 2013
O que deveria ser apenas um encontro entre prestigiosos membros da literatura nacional, converte-se em algo perturbador, ao ser assassinado com uma punhalada no coração um dos poetas participantes. Nacho Arán, poeta e meteorologista, chega ao local pouco depois de perpetrado o crime. Livre de suspeitas, Nacho dedica-se a investigar os outros participantes. Logo descobrirá que quase todos eles têm algo contra o morto e perceberá que o requinte intelectual e a suposta sofisticação da cultura não servem como vacina contra o mal e as paixões violentas, contra o ódio e o desejo de vingança... Ágil e sutil, mas profunda, brilhante e divertida, Morte entre Poetas é um autêntico sucesso de narrativa, que deslumbrará os leitores. Uma história deliciosa que presta uma homenagem aos antigos romances de Agatha Christie e às guerras literárias de Pío Baroja.

Autora: Àngela Vallvey
Título Original: Muerte Entre Poetas
Série: -
Editora: Primavera Editorial
Páginas: 316
Skoob 

Comecei a entender melhor o mundo no dia em que percebi, sem necessidade de que alguém me dissesse, que a beleza das flores não tem como objetivo alegrar a vista dos seres humanos com seu encanto, mas atrair os insetos e permitir-lhes assim, reproduzir-se, fazendo com que esses seres estranhos e alados levem o pólen do estame de uma flor, para o estigma de outra.

Página 121.


Nacho Arán, meteorologista, poeta e também membro do Clube de Baskerville, um blog de investigação, é convidado para participar de um congresso para poetas, para homenagear o falecido marido da anfitriã Dona Agustina. Porém, por causa do trabalho como meteorologista, Nacho só consegue chegar no quarto dia de congresso no Cigarral, fazendo localizada  na margem sul do rio Tejo. E para seu espanto, um dos poetas fora assassinado, Fábio Arjona.

Sendo o único que não é suspeito do assassinato, com a ajuda de sua Tia Pau e Rodrigo, ele irá aproveitar os dias no Cigarral, para investigar o crime. Só que as coisas não serão tão fáceis, pois todos os outros poetas, ao que parece, odeiam Fábio com todas as suas forças. O morto fizera muitos inimigos e qualquer um pode estar por trás de tudo, por isso, ele terá de escutar a história de cada um, e juntar as peças deste quebra cabeças.

- Carlos não estava. Sinto decepcionar-te. Receio que, ao contrário do que pode ocorrer em uma novela de Agatha Mary Clarissa Miller Christie, em que o assassino é o mordomo, este não é o caso.

Primeiro dia no Cigarral; Página 42.

Assim que li a sinopse deste livro, fiquei hipnotizado e tive a certeza que deveria ler o livro. Um crime em pleno congresso de poetas? Isso me pareceu sombrio e ao mesmo tempo delicado. Com isso, minhas expectativas eram grandes e aos poucos fui percebendo que algumas delas seriam satisfeitas.

O livro já começa com a morte do personagem que nem ao menos conhecemos, e por isso não tem como dizer se foi um crime bárbaro contra uma boa pessoa, ou simplesmente uma vingança contra alguém tão ruim como seu assassino. Então, aos poucos, a autora nos apresenta a outros personagens, e faz com que cada um conte sua história, e Fabio está em cada uma delas, causando desespero e tristeza na vida deles.

Ela vai delineando lentamente o caráter do personagem, fazendo com que seu leitor viaje por diferentes épocas e acontecimentos. Com isso, pode-se esperar por personagens muito bem construídos e que aos poucos vão acabar conquistando a confiança e a admiração do leitor. Tenho sim uma personagem que me apeguei simplesmente por sua história de vida e por sua superação.

[...] – Não lhe bastava estar no topo, e estava. Muito alto. Tinha a necessidade de ver a todos os outro rastejando embaixo, onde ele pudesse confundir-nos com qualquer inseto, com qualquer verme.

Página 221.

A narrativa da autora se mostra rápida, descritiva e muito bem elaborada. Sua característica que mais me deixou contente, foi a forma como ele delineia lentamente cada personagem, e faz com o que leitor vá saboreando com calma cada acontecimento. De início Àngela é uma autora que sabe usar, à medida certa, uma narrativa rápida e logo em seguida uma narrativa mais pausada e leve.

Porém, o livro é escrito em partes, e com isso, essas características foram ficando para trás por conta doas partes extensas e por vezes intermináveis. É um livro que não consegui ler rapidamente por conta disso. A história foi ficando cansativa e a narrativa da autora se tornando pesada, forçando-me a pausar minha leitura várias vezes, e isso me incomodou bastante e fez com que eu perdesse todo o encanto inicial pela obra.

O livro possui uma capa que tem tudo a ver com o enredo, folhas brancas (prefiro folhas amarelas, são melhor para a leitura), uma diagramação simples, porém bem trabalhada, com a fonte do tamanho adequado para uma boa leitura e não encontrei erros de revisão.  O livro leva três estrelas.





1 Comentário

  1. Esse já não sei se entra na minha lista, mas eu gosto de investigações.
    Gostei da proposta, mas tenho tantas prioridades que a não ser que esse livro apareça na minha estante eu dificilmente leria.

    ResponderExcluir

 
Desenvolvido por Michelly Melo.