Eu Li - Impacto Fulminante

sexta-feira, 31 de maio de 2013
Uma ordem secreta da antiga Babilônia ainda poderia espalhar medo ou terror aos habitantes da Terra? Haveria um meio de resgatar os poderes do antigo deus babilônico pelos membros remanescentes dessa ordem e, de posse dos mesmos, levarem pânico e destruição aos quatro cantos do planeta? O assassinato brutal do artista plástico Gregory Andersen, leva Richard Brown e Suzan Antonelli, historiadores britânicos convocados pela policia de Londres, a identificar o significado de estranhos caracteres e pistas deixados pela vítima, pintados com seu próprio sangue numa toalha segundos antes de sua morte. As marcas deixadas por Gregory e um estranho quadro por ele pintado, levam Richard e Suzan a uma aventura frenética em busca do legendário tesouro de Dario, portador dos terríveis poderes das trevas dos deuses pagãos. Perseguições implacáveis, conduzidas por um assassino cruel e sanguinário fazem com que a aventura se torne um jogo mortal, onde Suzan e Richard precisam lutar pela própria sobrevivência. Os membros da ordem secreta buscam desesperadamente resgatar os poderes ocultos para a conquista planetária, criando um exército imbatível, capaz de fazer com que todas as forças terrenas se curvem diante dos poderes das trevas. Seria possível impedir essa catástrofe que dizimaria os habitantes do planeta? Onde se encontra a espada utilizada pelo rei Dario e que supostamente continha a chave para trazer novamente a terra os poderes ocultos da antiga Babilônia

Autora: Valentine Cirano
Título Original: Impacto Fulminante
Série: -
Editora: Biblioteca 24x7
Páginas: 294
Skoob 

- E se for mais de dois metros? Poderemos machucar-nos seriamente. – disse ela aflita.

Richard levantou a cabeça e olhando para ela com um tom irônico dizendo:
- Não chegamos até aqui para agora darmos as costas e irmos embora, não é?
Adiantando-se disse:
- Vamos! Eu descerei primeiro. Depois que eu estiver lá embaixo, eu te ajudarei a descer. Está bem?
- Tudo bem, eu acho! – respondeu ela um pouco relutante.
Capítulo 31; Páginas 211 e 212.


Gregory Andersen, um artista plástico foi brutamente assassinado em sua casa, deixando pistas sobre quem seria seu suposto assassino. Como as pistas estão em símbolos, chamam o arqueólogo Richard Brown, que sozinho não consegue identificar as inscrições e por isso interrompe as férias de sua noiva, Suzan Antonelli, uma historiadora. Ela reconhece os símbolos como sendo pagões, e então, sem avisar a policia, pede ajuda ao amigo e ex-professor Andrew Nordgen. Os três curiosos pelo crime decidem investigar os fatos.

Porém, Andrew acaba sendo morto, e ao que tudo indica, pelo mesmo assassino de Gregory. Suzan, querendo justiça, decide, juntamente com o noivo, descobrir a identidade do criminoso, só que para isso, se meterão com gente muito perigosa, e também, na busca de um antigo tesouro da antiga Babilônia, o que pode custar a vida dos dois.

Toda nação que tenta escravizar e dominar com espada, cai e não se ergue mais.

Página 5.

Recebi esse livro já há algum tempo, li, mas só agora pude colocar a resenha. Meu notebook estava com defeito, mas consegui recuperar os arquivos. Tenho de admitir que me surpreendi bastante com a história. A capa não me chamou atenção, na verdade não gostei, mais a sinopse é que pega o leitor de jeito. É quase que impossível não querer ler este livro quando se lê a sinopse, você fica curioso e ai, só lendo mesmo. Na verdade esse livro me causou vários e vários sentimentos. Surpresa, alegria, raiva e decepção.

Me surpreendi principalmente com o enredo da história, é algo que realmente chama a atenção e que promete te prender do começo ao fim. E isso acontece realmente, porque você se vê tão envolvido e tão curioso pra tentar ajudar Suzan e Richard a resolver tudo, que fica meio difícil parar de ler. A autora, tem uma narrativa fácil de ler e que conquista a cada página por seu amadurecimento. O livro também é surpreendente, cheio de mistérios e ação. E quando você acha que está tudo resolvido, lá vem mais uma coisa nova que a Valentine traz com um bom jogo de cintura.

O assassino não é mistério para ninguém, muitos dos capítulos é narrado do seu ponto de vista, mais isso não deixa a história chata, pois podemos perceber como e porque o assassino age, e acima de tudo, vemos o quanto ele é cruel, e a quem é fiel. Uma coisa que não falta no livro é mistério, e por isso saber quem é o assassino não é a grande questão, mais sim o que ele quer e como chegar ao tão sonhado tesouro. Um outro ponto forte da autora, foi ela saber dosar muito bem a magia no meio disso tudo. De início achei que ficaria forçado e que não daria certo, mais a Valentine me mostrou que eu estava errado.

Mas, infelizmente o início do livro me deixou com o pé atrás. O primeiro capítulo estava parecido demais com o de um outro livro de um outro autor do mesmo gênero. Percebi com muita facilidade as influências da autora. Não sei se foi por isso, mais fiquei um bom tempo com aquilo na cabeça, por isso acabei dando um pausa na leitura. Mas como eu disse ali em cima, podemos perceber a evolução da autora, aos poucos ela vai deixando a estória com toques seus, porém, este fato me incomodou bastante.

Outro ponto negativo foi que muitas vezes eu achava os personagens muito superficiais e os diálogos pouco trabalhados. O que me parecia estranho, porque no início percebi a profundidade que cada um tinha, e como eles estavam bem trabalhados. E por fim, algumas coisas que mexeram demais com meu humor. Por exemplo: Como uma pessoa baleada na perna, depois de dois dias consegue correr? Eu fiquei realmente de boca aberta analisando essa possibilidade.

As aventuras de Suzan e Richard vão continuar em um outro volume que devo dizer estou curioso para ler. Porém, pesando a nota que eu deveria dar para este livro, eu não posso dar mais que três estrelas. O livro é bom, te conquista, mais muitas vezes espalhado pelas páginas, há pequenos motivos para desanimar o leitor.






3 comentários

  1. HAHAHAHA, posso falar o que você não pode Koldney? o nome era Dan Brown.
    Visualizei isso durante toda a resenha.. acho que o ponto positivo do livro é trabalhar a visão do assassino, por que sinceramente não acho o plot nada inovador..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então né, exato rs' A narrativa, os lugares, a historia, tudo parece muito, mas por outro lado, tem cisas nele que me fizeram ficar e boca aberta, a autora é criativa. Só faltou deixar de lado a narrativa quase idêntica à do Dan.

      Elder Koldney

      Excluir
  2. to com o simbolo perdido aqui para ler.. preciso de tempo xP

    ResponderExcluir

 
Desenvolvido por Michelly Melo.