Eu Li - Um Mundo Brilhante

quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Quando o professor Ben Bailey sai de casa para pegar o jornal e apreciar a primeira neve do ano, ele encontra um jovem caído e testemunha os últimos instantes de sua vida. Ao conhecer a irmã do rapaz, Ben se convence de que ele foi vítima de um crime de ódio e se propõe a ajudá-la a provar que se tratou de um assassinato. Sem perceber, Ben inicia uma jornada que o leva a descobrir quem realmente é, e o que deseja da vida. Seu futuro, cuidadosamente traçado, torna-se incerto, pois ele passa a questionar tudo à sua volta, desde o emprego como professor de História, até o relacionamento com sua noiva. Essa procura pelas respostas o deixará dividido entre a responsabilidade e a felicidade, entre seu futuro há muito planejado e as escolhas que podem libertá-lo da delicada teia de mentiras que ele construiu.

 Autora: T. Greenwood
 Título Original: This Glittering World
 Série: -
 Editora: Novo Conceito 
 Páginas: 336
 Skoob


Ele não sabia o que diria a Sara, como explicar aquela necessidade urgente de consolar uma estranha. Ele nunca seria capaz de articular a sensação de que isso era algum tipo de coincidência, de que pudesse haver uma razão para que ele fosse a pessoa que havia encontrado o garoto. Ele sabia que Sara nunca entenderia, que ela seria incapaz de compreender a nova sensação e o novo propósito que pareciam inchar dentro de seu peito como uma tempestade...
Capítulo 3;Página 31.



Um Mundo Brilhante conta a história de Ben Bailey, um professor de história que nas horas vagas vira um barman no bar do Jack’s para complementar a péssima remuneração que ganha como docente. Ele é noivo de Sara - que há alguns anos tenta dar um upgrade nesse status, mas sem muita sorte - e os dois moram em Flagstaff, uma cidade aparentemente pacata e que se torna movimentada no inverno, com a chegada da neve.

E é justamente nesse cenário que a trama começa. Em mais uma rotina diária, mas dessa vez com a chegada da neve, para felicidade do nosso protagonista, Ben sai para recolher o jornal e se depara com um corpo surrado e ensanguentado largado a alguns metros da porta de sua casa, ele e Sara, que a propósito é enfermeira, tentam dar os primeiros socorros ao jovem enquanto esperam a ajuda devida. O rapaz é levado para o hospital e intrigado com o acontecimento Ben resolve ir atrás do jovem e ver em que situação ele se encontra, mas ao chegar ao hospital descobre que ele não resistiu e morreu. Quem lhe da essa noticia é a irmã dele, Shadi Begay, uma jovem indígena com uma beleza no mínimo interessante e um estilo de vida e pensamentos totalmente livres e despreocupados.

Ben, se sentindo completamente envolvido com esse misterioso caso, de uma maneira que nem ele mesmo consegue explicar, decide ajudar Shadi na busca pelos assassinos de seu irmão e assim eles começam uma investigação sem muitas pistas ou rumos que podem tomar para chegar ao um veredicto final. À medida que a investigação simples e sem muitos recursos começa a caminhar, novas pistas vão surgindo e pouco a pouco, um rascunho do que pode ter acontecido começa a ser traçado e Ben cada vez mais vai se aproximando da intrigante e misteriosa Shadi, porém quanto mais eles procuram, mais perigoso se torna a situação, pois eles vão percebendo que a morte de Rick, envolve coisas muitos maiores e pessoas muito mais “poderosas” do que eles poderiam imaginar e percebem que não vai ser algo simples colocar um ponto final em tudo isso. 

Além das buscas por respostas da morte de Rick, Ben começa a questionar a si próprio, trazendo a tona sentimentos e segredos que ele a muito tinha mandado para uma parte esquecida de sua memória e ao mesmo tempo começa a questionar seu próprio relacionamento com Sara, pensando que ficarem juntos talvez não seja o melhor caminho para nenhum dos dois, mas assim como a morte de Rick, essa não vai ser uma questão fácil e acontecimentos inesperados podem mudar totalmente o rumo de toda a história.

A história é narrada em terceira pessoa e a autora consegue expor muito bem quais as sensações, pensamentos e vontades de Bem. Mas por ser uma história em terceira pessoa, senti falta de ter um pouco dessa visão nos outros personagens também. Por muitas vezes a história chega perto do monótono, mas a maneira como a autora vai apresentando os fatos pouco a pouco, faz com que a leitura flua bem tranquilamente e em alguns pontos de modo bem intenso e de muita expectativa. Outro ponto positivo é como o desenrolar da história nos faz pensar em decisões e ações que tomamos no dia a dia, como às vezes podemos simplesmente apagar coisas da memória por serem difíceis de lidar, mas que um dia acabam voltando com força total, ou como geralmente reclamamos de uma situação de rotina, quando nós mesmos nos levamos para tal situação, sem fazer nada pra mudar.

O livro tem uma diagramação simples, com páginas amarelas, separado em capítulos sem nome que são separados por 5 partes com nomes de algumas cores, que pra ser sincera, ainda estou tentando relacionar com os fatos da história que o separam e não apresenta numa erro de formatação, palavra, sentido, essas coisas. Rsrsrsrsrrs

A capa do livro é linda! Sério, representa tanto onde se passa a história em si e na minha humilde opinião, também pode representar o estado de espírito do Bem, um momento de confusão, de tempestade, frio, de busca, um momento em que ele esta descobrindo a si mesmo e o lugar ao qual realmente pertence. Não gostei do marcador, acho que não combinou com uma capa tão bonita - na verdade acho que senti falta de gliter nele também!!!  =D

No mais é uma boa história tem um desenrolar tranquilo, nem tão empolgante assim, mas longe do monótono, acho que os personagens se encaixam bem e apesar de não ter nenhum outro personagem tão assim representativo na história, os outros personagens que aparecem ajudam a entender todo o contexto por trás da historia principal e isso é importante para você entender algumas coisas.

Espero que tenham gostado, para uma primeira resenha eu ainda estou meio “crua” como diz uma professora minha, mas espero melhorar cada vez mais.

Desejo uma boa leitura para quem escolher esse livro e minha classificação para ele é quatro estrelas! 
=)




OBS: Esse post faz parte dos Leitores premiados. Se já conhece, se inscreva no formulário, se não, conheça clicando na imagem ao lado do formulário.

 Formulário de Inscreição     Conheça

2 comentários

  1. Foi uma boa resenha, para uma primeira vez, expressou bem seus sentimentos em relação ao livro sem deixar se levar por leituras anteriores (o que diga-se de passagem é um pouco dificil para mim dado a algumas coisas já lidas xD). Conseguiu dizer do que se trata a história sem em nenhum momento dar spoilers.
    Só houve uma confusão com o nome dele, mas isso é aceitável.
    Gostei da resenha e animei de ler o livro.. se for tão bom para mim quanto os dois ultimos que me recomendou com certeza terei uma leitura agradável.

    ResponderExcluir
  2. Eu lembro que quando eu li, achei a hitória bem interessante. Não algo imperdível, mas instigante.
    O livro em sí é bom, mas às vezes se tornava cansativo acompanhar a história dos personagens.
    Foi um livro 3 estrelas pra mim :)

    Parabéns pela resenha!

    João Victor, Amigo do Livro
    http://amigodolivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

 
Desenvolvido por Michelly Melo.