Eu Li – Eu Sei o Que Você Está Pensando

quinta-feira, 15 de março de 2012
Uma carta perturbadora chega via correio com uma simples declaração ao final: "Veja como conheço seus segredos - apenas pense em um número." Errará quem pensar que uma carta dessas chega a seu destino final apenas por obra do acaso. Para o detetive aposentado da polícia de homicídios da cidade de Nova York, Dave Gurney, que está formando uma nova vida ao lado de sua esposa Madeleine, as cartas começam a deixar de ser estranhas para se tornarem um complicado quebra-cabeça que levará a uma enorme investigação sobre assassinatos em série. Trazido para o caso como consultor, Gurney em pouco tempo percebe pistas que a polícia local deixou passar. Ainda assim, diante de um oponente que parece ter o dom da clarividência, Gurney vê seus esforços irem em vão, seu casamento rumando a um precipício e, finalmente, um medo incontrolável de que seu adversário não pode ser parado.


- Você escreve poemas lindos.
Não havia janelas no quarto. Vinda de lado, a luz do abajur – a única fonte de iluminação – enfatizava a cicatriz grossa na garganta da mulher e a sombra nos olhos do filho.
- Nós vamos sair para dançar? – perguntou ela, olhando para além dele e da parede escura trás, em busca de uma visão mais luminosa.
- Claro, mãe. Tudo vai ser perfeito.
- Cadê o meu Patinho Dickie?
- Aqui, mãe.
- O Patinho Dickie vem para a cama?
- Vem dormir na caminha, dormir na caminha, dormir na caminha.
Prólogo; Página 7.


Quando recebe uma carta desafiando-o a pensar em um número de 1 a 1000 e orientando-o a abrir o envelope que contém o número que ele escolheu, Mark Mellerey fica apavorado. Então as perguntas lhe vêem a mente mente: Como alguém poderia saber em que número ele pensaria? Quem seria esse remetente que parecia o conhecer tão profundamente? Intrigado com esse misterioso enigma e preocupado com as ameaças que chegam com essa carta e nas semanas seguintes, Mark decide procurar um amigo que não vê há anos e que é um famoso detevive de homicideos, David Gurney.

Gurney agora está aposentado depois de uma longa carreira de suesso, e está morando com a esposa no interior do estado de Nova York, na tentativa de salvar seu casameto e contruir uma vida nova em meio aquea tranquilidade. Mais, como alma de detive, a curiosidade lhe aguça, e ele se vê às voltas com seu maior vício: a investigação.

Só que a situação foge ao controle, e uma onda de assassinatos brutais começam, começando ao que parece com seu amigo Mark. Gurney agora é contratado pela promotoria, que confia e precisa de sua ajuda. E com seu raciocícnio lógico, e um talento bem aperfeiçoado para investigações, Gurney está cada vez mais próximo de resolver todo esse mistéio.

Este é o primeiro livro que resenho em parceria com a Editora Arqueiro, e posso dizer que começo do jeito que eu adoro, com muito, muito mistério. De primeira somos apresentados a dois personagens diferentes mais marcantes, Mark e Gurney. O primeiro é um personagem que de início parece bem misterioso, e o segundo um personagem forte, que só fala quando necessário e que tem uma lógica perfeita. No decorrer somos apresentados a muitos outros personagens que variam em seu temperamento. Passamos muito tempo conhecedo cada um deles, e posso dizer que uma em especial me marcou, Madeleine, a esposa do nosso detetive.

Dizem que por trás de um grande homem, sempre há uma grande mulher. E isso pude conferir durante o livro. Madeleine é tão inteligente quanto Gurney, e logo percebemos porque eles são um casal feito um para o outro. Sempre que os dois conversam, o detetive consegue perceber alguma novidade que possa ajudar nas investigações. É como se ela fosse uma investigadora oculta. Gostei bastante desta união entre o casal que o autor no mostra.

O enredo é super envolvente, foi estremamente difícil parar de ler. Sempre há uma coisa nova, uma história nova e uma revelação que fazem nossas mentes trabalharem estremamente rápido no mistério junto com Gurney. Uma das coisas que eu mais gosto em livros que o mistério está sempre presente, é nas pausas que o autor nos dá para refletir e nos traz por exemplo um fato fora da investigação. Verdon faz isso. Nos mostra mais sobre o passado de Gurney em momentos importantes, quando a carga investigativa está pesada demais e até mesmo nós precisamos de um momento para refletir sobre o que já lemos.

O final é surpreendente. Não descobrimos antes quem está por trás de tudo, descobrimos junto com o Gurney, e foi isso que me prendeu e me fez achar o livro fantástico, eu não descobri antes de nenhum personagem quem era o assassino. A capa é lega, nos tras elementos importantes da história, elementos bem misteriosos, a diagramação é simples, e não encontrei nenhum erro de revisão. O que eu posso citar de ponto negativo e que de certo modo me encomoda, é que os capítulos começam na mesma página que o outro termina.

Depois de tudo isso não tem como não dar cinco estrelas. Eu Sei o Que Você Está Pensando é um supense de estréia maravilhoso, e que com certeza abriu portas para um autor que ainda tem muito a mostrar.


Livro: Eu Sei o Que Você Está Pensando
Autor: John Verdon
Editora: Arqueiro

Nenhum comentário

Postar um comentário

 
Desenvolvido por Michelly Melo.