Eu Li - O Perfume da Rosa

quinta-feira, 20 de outubro de 2011
Os segredos não podem ser guardados tão profundamente que nunca possam ser desenterrados… Às vezes, eles voltam para cobrar o seu preço." 
Londres, século XIX. Duas órfãs, Elizabeth e Samantha, aos cuidados de uma duquesa autoritária. Arthur, um duque libertino, encarregado de apresentar Elizabeth à sociedade e um assassino cruel à espreita… Mulheres relacionadas ao Duque de Devonshire são cruelmente apunhaladas até a morte e uma rosa é deixada sobre os corpos. Em meio ao pânico crescente, em um jogo de perseguição ao assassino, nasce um amor tempestuoso e irresistível…

 
Elizabeth a encarou, o rosto se iluminou ao entender o que Ruth queria.
- Desculpe-me! Permita-me tirar isso – ela levou as mãos à mordaça e puxou-a.
Nesse momento, sentiu a dor insuportável na cabeça, que se espalhou pelo corpo todo. E então a escuridão a engoliu.




     Elizabeth e Samantha Stanford moravam no campo com seus pais, mais após suas mortes tiveram que procurar Ruth, uma Condessa que sempre tivera a mãe das garotas como filha. Ruth aceita receber as meninas e ensiná-las tudo que tem de saber para viver na linda Londres de 1856. Elizabeth já está em idade de se casar, e é a primeira a entrar de cabeça na vida de mordomias e eventos a sua altura. Só que aos poucos se apaixona pelo cínico e libertino Duque Arthur, protegido da Duquesa. Porém, todas as mulheres relacionadas a Arthur começam a morrer de forma trágica, e a marca deste assassino são as rosas deixadas em cada corpo. Então, para aumentar ainda mais a tensão, Elizabeth é atacada e quase morta.

     O livro é lindo. Digo começando pelo trabalho gráfico da capa e da diagramação que é bem simples. As folhas são brancas e como de costume nos livros que trazem o selinho Novos Talentos da Literatura Brasileira, o tamanho da letra é bem agradável. Os capítulos contem apenas números e uma coisa engraçada é que as orelhas são bem maiores que os outros livros que tenho da editora.

     A história é muito envolvente, é meio difícil parar de ler. É um romance policial bem escrito, que me deixou bem feliz, porque já estava querendo ler algum livro assim. A autora tomou muito cuidado em relação do palavreado dos personagens, a história se passa em 1856, e podemos ver o quanto ela presou para que isso ficasse original à época. O romance é leve, não tem aquelas frases do tipo: - Oh ele não me quer, eu vou morrer. Essa frase não faz o estilo da Elizabeth que é muito cabeça dura. O Duque então, não vai, por tão cedo, reconhecer seu amor. Por falar em personagens eles foram bem trabalhados. O que eu mais gostei foi que em meio a esse ar de suspense e romance, ainda teve momentos engraçados.

     Para meu agradecimento e também surpresa, o livro não tem nenhum erro ortográfico, pensem o quanto fiquei feliz com isso, já que tenho recebido alguns com erros e sempre comento nas resenhas. O final, eu acho que mesmo muito bem bolado ficou meio clichê. O desenrolar, as ações, nada me pareceu novo. E sobre o assassino, bom, vou dizer que eu já sabia antes de chegar ao final, mais provavelmente, muitos de vocês vão ter que martelar muito a cabeça. Não foi algo previsível e eu adorei isso, mais a autora deixa pistas no decorrer do livro.

     Pelo final clichê, mesmo que com todos os outros elogios eu vou dar apenas quatro estrelas. A meu ver, a Haydee ainda tem muito a nos surpreender como escritora, porque esse seu romance policial de estreia me deixou muito feliz.




Livro: Irmãs Stanford – O Perfume da Rosa
Autora: Haydee Victorette
Editora: Novo Século

4 comentários

  1. Oi Kold!

    Ah, quem manda ser espertinho e descobrir antes quem era o assassino?! hehehe, brincadeira. É ruim quando o final não nos surpreende, né? Ainda mais quando é um livro policial. Mas que bom que esse foi o único ponto negativo e mesmo o final tendo sido clichê a leitura foi proveitosa! Realmente, o livro não ter erros ortográficos é um ponto MUITO positivo. É péssimo pegar um livro cheio de erros, deveria ser obrigação os livros virem sem erros, pelo menos sem erros grotescos, mas infelizmente tem uns livros pessimamente revisados por aí. (Se é que foram revisados, né?) Mas olha, eu venho aqui comentar sobre a resenha e fico cheia de blábláblá :P
    Enfim, que bom que gostou do livro! Tomara que você tenha oportunidade de ler mais livros da autora e que sejam ainda melhores!

    Beijocas.
    Amanda
    :)

    ResponderExcluir
  2. Não conhecia, agora lendo me chamou atenção, apesar de levar mais para o feminino ne....

    Philip Rangel- Entrando numa Fria

    ResponderExcluir
  3. Eu nunca tinha ouvido falar desse livro NA MINHA VIDA, só a capa já me disse : LEIA-ME. E é isso que vou fazer assm que ouder. QUEM MANDA DESCOBRIR ANTES O ASSASSIIINNOOOO ????

    ResponderExcluir
  4. Kold, olha a resenha aí *-*
    Primeiro o nome da autora é difícil de falar né? HAHA
    do tipo, aprenda a falar o nome dela em 5 aulas kkkk
    A capa do livro apesar de sem bem simples é mt bonita. Mas desde que vc anunciou a parceria, o que mais me chamou atenção, com certeza foi o enredo.
    Você falando bem do livro só me faz querer ler mais ainda! Adoro livros de época *-* minha imaginação fervilha com esse tipo de livro hehe
    Adorei a resenha! Se o intuito era me deixar com mais vontade de ler, touché! kkk
    bjs!

    ResponderExcluir

 
Desenvolvido por Michelly Melo.