Entrevista com Evandro Raiz Ribeiro - " Não deixe o sol brilhar em mim "

terça-feira, 28 de junho de 2011
Evandro Raiz Ribeiro, tem 49 anos, nasceu em Recife. Ao 13 anos foi morar em Santo André no ABC Paulista, cidade que considera como sua segunda terra natal, local escolhido como fundo de cena para história do seu livro. Em 1992, mudou-se para o Japão, onde mora até hoje e desde então não voltou nenhuma vez ao Brasil.


Quando começou a escrever ? 
Na verdade, posso dizer que comecei a escrever agora, há pouco mais de 1 ano quando comecei a escrever “Não Deixe o Sol Brilhar em Mim”. Antes já tinha esboçado algumas ideias, mas nada de concreto e acabei esquecendo pelas gavetas da vida.

Como é seu processo criativo ?
Sinceramente, não possuo fórmula alguma. Eu entendo sua pergunta, pois antes eu sempre me perguntava como seria o processo criativo que um escritor usava para criar sua história. Li e escutei diversas maneiras teóricas, mas quando comecei a escrever meu livro, não me vali de nenhuma delas. Apenas a inspiração bateu e fui escrevendo o que vinha na cabeça. Por causa disso, creio que tive muitas dificuldades em fazer a revisão, com certeza um escritor tarimbado deve ter o seu método criativo, como não possuía nenhum,tive que escrever e reescrever o texto dezenas de vezes e isso cansou muito.  

Como surgiu a ideia de escrever " Não deixe o sol brilhar em mim" ?
“Não Deixe o Sol Brilhar em Mim” veio num repente após assistir ao premiadissímo filme do diretor sueco Tomas Alfredson,  baseado na obra homônima de John Ajvide Lindqvist  “Let the Right One in” conhecido no Brasil como “Deixa ela entrar”.  É claro que não fiz um plágio do filme, como li em algumas dúvidas  de pessoas que leram a sinopse.  Minha história é totalmente original, o tema  é igual por que tema é tema. Se em uma prova de redação for proposto o tema: ataque terrorista às torres gêmeas em 11 de setembro.  E também for pedido uma sinopse do texto da redação, não importa quantas pessoas tenham feito a prova, o conteúdo das sinopses  serão praticamente idênticos, mesmo que contenham palavras diferentes. O texto da redação em si, vai conter o mesmo assunto, porém, contado de várias maneiras e ângulos diferentes e dificilmente (suponde-se que não houve cola, hehe) haverão dois idênticos.  A minha história tem como tema o encontro de um garoto que sofre bullying familiar e na escola com uma garota que é um vampiro. Esse é o mesmo tema do filme, porém, o texto no geral não contém nada de similar ao filme ou ao livro que deu origem ao filme.  Foi todo escrito baseado em reminiscências da minha infância.


Quais foram as dificuldades encontradas na procura por uma editora?
Dificuldades?  Todas possíveis e imagináveis. Não é de agora , seja no Brasil ou no mundo, não há espaço para novos autores.É muito difícil  que uma gande editora escolha o trabalho de autor novato para publicar.
Tome-se de exemplo Paulo Coelho , recordista mundial de venda de livros, no ínicio também teve que publicar de forma  independente.  Hoje em dia exsitem várias editoras que tem uma proposta interessante para novos autores, um pouco diferente de se publicar de forma independete e também diferente de se publicar pela tutela completa de uma grande editora. É claro que todas essa editoras tem um nome e um padrão a zelar e a obra precisa estar de acordo com esses termos. No meu caso gostei muito da propsota de trabalho da Editora Dracaena.

Quais são suas influências para escrever?
Minha história é um romance sobrenatural, e o autor de sobrenatural que mais li foi Stephen King, Li também toda a obra de Edgar Alan Poe  e gosto muito do estilo de H. P. Lovecrarft  que por sinal nunca viu uma obra sua publicada em vida. Um autor  Nacional que aprecio e  li toda sua obra foi José Lins do Rego, que não escreve nada sobrenatural, mas que gosto muito do seu estilo de escrever. É comum encontrar em suas histórias um tom pessimista, em que nem sempre coisas boas vão acontecer para pessoas boas, em que nem sempre vai acontecer um “ e eles viveram felizes para sempre”,  e eu gosto muito disso.

Fala um pouco sobre o seu livro.
Meu livro conta a história de Dennis um garoto que vai morar com o tio após a morte de seus pais, mas ele passa a ter uma vida muito solitária, pois o tio quase nunca está em casa e a tia começa a perseguílo por não gostar de sua presença. Na nova escola acontece a mesma coisa pois alguns garotos não gostaram do seu jeito esquisito de falar. É quando ele conhece Valquíria uma garota também solitária que tem um segredo, ela é um vampiro. Parece que você já viu essa história em algum lugar? Não, você não viu; a partir dái a história toma um rumo em que você não  vai querer esperar para ler a página seguinte.

Deixe um recado para outros jovens que estão escrevendo ou pensam em escrever um livro.
Se esse é seu sonho, não desista dele de forma alguma, não dê ouvido a palavras pessimistas, não se importe com os possíveis “experts” no assunto. Ninguém é  dono  da verdade, dê o melhor de si, se aprimore no que tiver que se aprimorar, busque conhecimentos. O caminho é por aí mesmo e tudo só depende de você, se ficar esperando que alguém faça algo por você, a tendência é ficar esperando eternamente. 

Considerações finais
Gostaria de agradecer pela portunidade, muito Obrigado.

1 Comentário

 
Desenvolvido por Michelly Melo.